Você está aqui
Home > Empresas & Negócios > Dia da Indústria: São Leopoldo tem o que celebrar

Dia da Indústria: São Leopoldo tem o que celebrar

Indústria em São Leopoldo

Hoje, 25 de maio, é o Dia da Indústria. E São Leopoldo, nacionalmente conhecido pelas indústrias metalmecânicas e de borracha, pode comemorar. O setor, em diferentes áreas, tem mostrado sua força e se destacado no crescimento da economia. Dois exemplos marcantes – Stihl e Taurus – têm se destacado nos últimos meses, elos consecutivos anúncios de crescimento e de investimentos.

O vice-presidente de Indústria da Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Tecnologia de São Leopoldo, Cleomar Prunzel, destaca que esta data é momento de “reconhecermos a importância deste setor na nossa economia. A indústria que gera riquezas, que transforma e gera empregos. Indústria que traz inovação e tecnologia, fatores importantes para que possamos competir com as indústrias globais”. Ao avaliar o atual momento da indústria nacional e, de forma mais específica, o setor industrial em São Leopoldo, ele aponta diferentes cenários. “Alguns setores estão com sérios problemas decorrentes da Pandemia da COVID-19 e em alguns segmentos, temos uma expansão significativa. Há empresas que estão apresentando crescimento de 50%, contratando novos colaboradores e trazendo nossos investimentos tão importantes para nosso progresso”, acentua.

O dirigente reforça que a indústria leopoldense é responsável por mais de 30% do PIB local, sendo responsável por mais de 60 mil empregos que são fundamentais para o progresso da cidade. “Isto nos enche de orgulho e satisfação”.

“Não existe um País forte se não existe a indústria”, aponta o presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico e Eletrônico de São Leopoldo (Sindimetal RS), Sergio de Bortoli Galera. Ele dirige a Itecê, empresa sediada em São Leopoldo, que produz soluções destinadas ao setor agrícola-madeireiro, produtos e peças para motosserras, roçadeiras, cortadores e afins.  Ele lembra que a indústria não parou durante a pandemia. A continuidade das atividades, seguindo os protocolos de segurança para evitar a proliferação do coronavírus, assegurou o nível de emprego e de entregas para o Brasil e exterior. Na área de abrangência do Sindimetal RS, que compreende 35 municípios, entre eles São Leopoldo, no período do um ano, conforme o dirigente do sindicato, as empresas desta área cresceram entre 10 e 50%. “Algumas tiveram um grande crescimento, outras cresceram um pouco menos, mas também estão tendo bons resultados”.

Conforme o Boletim Socioeconômico produzido pela ACIST-SL, a indústria contribui com 28,3% do PIB de São Leopoldo, o que é superior à participação da indústria no estado, que é de 22%. Estes dados são referentes a 2018, mas refletem a importância de grandes indústrias, inclusive multinacionais, que geram renda e desenvolvimento em São Leopoldo.

Em 2020, se estima que 54.351 estavam formalmente empregadas em São Leopoldo. Grande parte deste número atua dentro das indústrias.

Galera reforça que a grande indústria normalmente impulsiona as de pequeno e médio porte, porque muitas delas são fornecedoras entre si, gerando um positivo efetio cascata.

Mais de três mil colaboradores na Stihl

Ao longo de 2021, a empresa investirá um total de R$ 514 milhões na fábrica. De acordo com o presidente da empresa, Cláudio Guenther, foi adicionado um valor de R$ 140 milhões ao orçamento inicial que previa R$ 374 milhões a serem aplicados. “Esse investimento anual é recorde na história da Stihl Brasil e é fruto da confiança da família Stihl na nossa capacidade e qualidade de produção. Assim, seguiremos nossa tradição de desenvolver e oferecer soluções com tecnologia de ponta, à altura das exigentes necessidades do consumidor atual”. Além do aporte, a unidade brasileira da marca registrou no primeiro quadrimestre de 2021 crescimento de 49% no faturamento e as vendas de unidades motoras até abril cresceram 41% em relação a 2020.

Na fábrica da Stihl de São Leopoldo, onde a produção da empresa teve início em 1973, trabalham aproximadamente 3,1 mil colaboradores. A matriz do grupo fica na cidade de Waiblingen, na Alemanha. A empresa está presente em mais de 160 países por meio de canais de distribuição formados por 40 mil pontos de vendas no mundo. Com produtos destinados ao mercado florestal, agropecuário, construção civil, conservação e jardinagem profissional, e doméstico, a empresa oferece uma ampla linha de ferramentas motorizadas portáteis que podem ser encontradas em mais de 4 mil pontos de venda distribuídos pelo Brasil. Para atender ao mercado global, a Stihl conta com unidades produtivas na Alemanha, Brasil, Estados Unidos, Áustria, Suíça, China e Filipinas

Recorde de produção na Taurus

A Taurus, que executa projeto de ampliação do parque industrial, também no bairro Fazenda São Borja, igualmente tem números recordes. Nos primeiros três meses do ano produziu o maior volume de armas da história da companhia em um trimestre: 492 mil armas fabricadas em suas duas unidades, em São Leopoldo e no Estado da Georgia, nos Estados Unidos. Ao comparar os resultados do 1º trimestre de 2021 em relação ao mesmo período de 2020, a companhia apresentou mais uma vez crescimento em praticamente todos os indicadores. O lucro bruto aumentou em 131,8% em relação ao 1º trimestre de 2020, atingindo R$ 254 milhões, com margem de 46,1%. A Taurus, iniciou em dezembro de 2020, obra de ampliação. A previsão de conclusão das obras do projeto do condomínio é no início do 4º trimestre de 2021.

Top