Você está aqui
Home > Cenários & Dados > Diagnóstico aponta o potencial das micro e pequenas empresas em São Leopoldo

Diagnóstico aponta o potencial das micro e pequenas empresas em São Leopoldo

São Leopoldo, RS

Elaborado pelo Sebrae RS, documento destaca ainda a importância dos setores de Tecnologia e da Indústria Metalmecânica na economia da cidade

Economia diversificada, grandes empresas instaladas e um parque tecnológico consolidado evidenciam que São Leopoldo tem potencial para ser um lugar atrativo a novos negócios, inovador e com visão de futuro. O principal resultado indicado pelo diagnóstico econômico municipal agora motiva o poder público a direcionar suas atenções para o fortalecimento e a atração de micro e pequenas empresas, que já representam 50,9% dos estabelecimentos da cidade. O primeiro passo nesse sentido será mapear MPEs que atuam como fornecedoras para outras empresas da cidade para saber quais delas são locais e quais são de fora e, assim, elaborar um plano de incentivos.

Segundo o relatório, desenvolvido pelo Sebrae RS e recentemente apresentado pela economista-chefe da Fecomércio-RS, Patrícia Palermo, o município precisa atuar para promover um ambiente de negócios mais favorável às MPEs, incluindo as compras governamentais, que são uma ferramenta importante para oportunizar e estimular o desenvolvimento local. O material também traçou o perfil econômico de São Leopoldo, apontando caminhos para o crescimento, focando em inovação e empreendedorismo. O estudo integra o conjunto de ações do programa Cidade Empreendedora.

O documento, de 52 páginas, faz a descrição e a análise de dados em sete áreas: perfil demográfico, perfil social, perfil econômico, mercado de trabalho, empresas, infraestrutura e contas públicas. Entre as potencialidades da cidade, está a economia diversificada, evidenciada pelos dados relativos ao Mercado de Trabalho, com Serviços (43,3% dos vínculos), Indústria (38,6%) e Comércio (18%) como as principais atividades. Em Serviços, o destaque é o setor de Inovação e Tecnologia, especialmente por conta do Parque Tecnológico. Na Indústria, o ramo de metalmecânica tem grande relevância, respondendo por quase 14% dos vínculos trabalhistas. Com isso, São Leopoldo difere-se do perfil predominante da região, que tem na indústria couro-calçadista o seu ponto forte.

Parque Tecnológico São Leopoldo -  Tecnosinos
Parque Tecnológico São Leopoldo evidencia o setor de tecnologia e inovação de São Leopoldo

A partir dessa compreensão da realidade local indicada pelo estudo, o Poder Executivo Municipal pode definir prioridades e estratégias, que permitirão ao município alavancar o seu desenvolvimento socioeconômico e se tornar um lugar melhor para empreender.

Conforme os dados apresentados, o PIB da cidade teve crescimento de 102,1% entre 2010 e 2018, quando chegou a R$ 9 bilhões. Naquele ano, São Leopoldo era o nono maior PIB entre os municípios gaúchos. Esse quadro já apresentou evolução. Em levantamento feito pela Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão do governo federal em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), relativo a 2019, o município do Vale do Sinos aparece em sexto lugar entre os maiores PIBs gaúchos, com R$ 10.122.382, ou 2,1% do PIB do RS.

Estrutura demográfica – A estrutura demográfica de São Leopoldo também foi mapeada no diagnóstico do SEBRAE RS. Dos 234.746 habitantes em 2020, 70,8% da população é adulta, ou seja, em idade economicamente ativa. A população de adultos cresceu 27,5% em um intervalo de dez anos, de 2000 a 2020, ante 15,4% de crescimento no Estado. A população adulta jovem (20 a 39 anos), por sua vez, também é grande: 32,1%. Houve um crescimento de 14,6%, enquanto o Estado aumentou 7% na mesma fatia.

Idosos – Um outro importante é a população idosa de São Leopoldo, que cresceu 137,5% entre 2000 e 2020. No Rio Grande do Sul, o crescimento foi de 104,5%, exigindo o redimensionamento dos serviços públicos para atender a essa população. Em comparação ao RS, o município ocupa o 20.º lugar no ranking dos municípios com a menor proporção de idosos no conjunto da população: 9,9%.

Parceria deve ser ampliada em 2022

A Prefeitura de São Leopoldo aderiu ao programa Cidade Empreendedora em agosto de 2021. A parceria entre Município e o Sebrae terá a duração de três anos, envolvendo capacitações nos eixos compras públicas, educação empreendedora, liderança e desburocratização.

Segundo o gerente do Sebrae Sinos, Caí e Paranhana, Marco Copetti, o diagnóstico “é uma radiografia da cidade, que aponta oportunidades”. Segundo o estudo São Leopoldo – Cidade Empreendedora, uma população grande de adultos tem impacto sobre a capacidade produtiva, sobre o potencial de consumo e sobre a atratividade de novos negócios. Ainda de acordo com o relatório, o Município precisa atuar para promover um ambiente de negócios mais favorável às micro e pequenas empresas (MPEs), incluindo as compras governamentais, ferramenta para oportunizar e estimular o desenvolvimento.

Top