Uso de cookies

Para você navegar neste website, usaremos cookies para melhorar e personalizar sua experiência. Saiba mais em nossa política de de privacidade.

Atividade econômica de São Leopoldo tem desaceleração

Boletim Socioeconômico Trimestral apontou redução na massa salarial em contraponto ao aumento na geração de emprego

 

O CONTEÚDO COMPLETO DO BOLETIM PODE SER ACESSADO AQUI.

 

O Nível de Atividade de São Leopoldo cresceu, em média, 2,1% no ano de 2019. É o que aponta a sétima edição do Boletim Socioeconômico Trimestral da ACIST-SL, apresentado nesta quinta-feira (12), para associados, empresários, imprensa e convidados do setor de Segurança Pública. Segundo o economista Marcos Lélis, que coordenou a pesquisa, desde o primeiro trimestre de 2019, a atividade econômica do município vem desacelerando e encerrou o quarto trimestre do ano passado com uma taxa de apenas 0,7 de crescimento. “São Leopoldo sofreu forte impacto na atividade industrial devido à redução nas exportações e foi afetado pela redução da massa salarial, mesmo com elevação no número de empregos”, pontuou.

 

O Nível de Atividade do município é calculado por um grupo de pilares formado pela arrecadação municipal, geração de emprego formal, IBC-BR e as exportações locais.

Empregos – O estoque estimado do emprego no município em dezembro de 2019 foi de 57.998 pessoas, sendo que a geração de empregos formais (saldo de admitidos menos desligados) de 205 novas vagas no 4º trimestre de 2019. Em todo o ano de 2019 foram geradas 1.128 novos postos de trabalho.

 

“Observamos que o resultado do município foi melhor dentre os outro três analisados no período, tanto no trimestre quanto no acumulado do ano de 2019, mas a massa salarial ficou menor, pois os salários dos demitidos eram maiores do que os que os admitidos”.

 

Dentre os subsetores que mais geraram empregos formais em São Leopoldo, o destaque ficou com o de comércio e administração de imóveis, valores mobiliários e serviços técnicos, que apresentou geração de 377 novas vagas no 4º trimestre de 2019. “Estes serviços técnicos referem-se às vagas abertas no polo de tecnologia”, explica. Na sequência, vem o subsetor de  serviços de alojamento, alimentação, reparação, manutenção e reparação,  que registrou 197 novos empregos formais no período. “Neste segmento, a massa salarial é menor”.

 

Por outro lado, dentre os subsetores com os piores saldos trimestrais de São Leopoldo está o da Indústria Mecânica, que encerrou o 4º trimestre de 2019 com saldo negativo de 113 empregos formais. Na sequência, aparecem os setores de Ensino e da Indústria do Material de Transporte, com o fechamento de 92 e 69 vagas, respectivamente.

 

Sobre o Boletim – O Boletim Socioeconômico é uma iniciativa da ACIST-SL elaborada a partir das  ações estratégicas definidas em janeiro de 2018, por ocasião da revisão do seu Planejamento Estratégico. Naquele momento, foram apontadas as bandeiras de atuação da entidade: Educação, Meio Ambiente, Segurança Pública, Valorização da Cidade e Valorização do Ambiente Empreendedor.

 

Seu conteúdo é desenvolvido pelo Núcleo de Excelência de Competitividade e Economia Internacional da Unisinos, que pesquisa e analisa os dados e tem o apoio financeiro das empresas associadas Frontec, Sicredi, Sinodal, Certivale, SKA e Vila Rica.

 

Para efeitos comparativos, são apresentados um panorama de outros três municípios escolhidos por serem semelhantes geográfica e economicamente a São Leopoldo: Novo Hamburgo, Canoas e Gravataí, pois pertencem à Região Metropolitana de Porto Alegre e possuem mais de 200 mil habitantes.

 

Fonte: Imprensa ACIST-SL | SENHA Comunicação Integrada

Outras notícias

Castástrofe Climática: ACIST-SL cancela eventos de maio

  Devido aos graves efeitos da catástrofe climática que assola São Leopoldo, a ACIST-SL cancelou todos os eventos programados para maio. “Nossos esforços estão concentrados em apoiar os atingidos pela enchente. Criamos uma força-tarefa com nossos associados para receber e