Você está aqui
Home > Tecnologia & Inovação > Eduardo Leite se reúne com governança do Tecnosinos

Eduardo Leite se reúne com governança do Tecnosinos

O governador do Estado, Eduardo Leite, promoveu no dia 30 de julho, uma reunião no Palácio Piratini com a governança do Parque Tecnológico São Leopoldo. A pauta do encontro foi a ampliação do Tecnosinos a partir da doação de uma área de 50 hectares localizada no Horto Florestal. O pedido foi realizado em 2010, pela Prefeitura Municipal. O grupo foi formado por Oldemar Brahm, presidente da Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Tecnologia, Susana Kakuta, CEO do Tecnosinos, prefeito Ary Vanazzi, os secretários Marcelo Frison ( Geral de Governo), Rafael Souza (Desenvolvimento Econômico, Turístico e Tecnológico) e o reitor da Unisinos, padre Marcelo Fernandes de Aquino.

O governo estadual já sinalizou que pretende avançar com as tratativas para de doação, cuja área fica na divida entre São Leopoldo e Sapucaia do Sul. Em janeiro, uma comitiva formada por representantes da Prefeitura, do Tecnosinos e da Assembleia Legislativa se reuniu com o secretário estadual de Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema), Artur Lemos, que reforçou a intenção de ceder a área para uso do parque.

Para o presidente da ACIST-SL, Oldemar Brahm, a ampliação do Parque Tecnológico é muito importante apara a economia da cidade, devido ao efeito cascata que gera para uma série de atividades. Segundo ele, cria-se uma grande rede de fornecimento que impacta positivamente na geração de renda, emprego e divisas municipais.

Na avaliação de Vanazzi, o resultado da audiência foi positivo para os interesses do município. “Estamos otimistas em agilizar o processo. Começamos a negociar a doação da área em 2010 e desde lá tratamos com diversos governos. A expansão é uma necessidade para a atração de novas empresas que, além de gerar empregos, possibilitará novos investimentos e desenvolvimento para o Vale do Sinos e, consequentemente, para o Estado. Com a concretização da doação podemos dobrar o tamanho do parque”, esclareceu.

Conforme a diretora executiva do Tecnosinos, Susana Kakuta, o Parque planeja a utilização de 50 hectares da área horto para oportunizar de sediar empresas de maior porte. “Essas empresas terão capacidade não apenas de fornecer serviços, mas também serem produtoras de bens, a exemplo de outras existentes como a HT Micron, SAP, Altus e Digistar”, explicou Kakuta.

O Tecnosinos sedia cinco das dez empresas que mais geram impostos para o Município. Prestes a completar 20 anos, o parque tem a meta de dobrar o número de empresas consolidadas até 2022, saltando de 60 para 120.

O Parque conta com 93 empresas nacionais e internacionais, um faturamento de mais de R$ 2,5 bilhões e 120 registros de propriedade intelectual. Seis países estão presentes no parque: Brasil, Alemanha, Coreia do Sul, Holanda, Índia, Suécia e Suíça. O Tecnosinos tem firmado parcerias com diversos parques tecnológicos do mundo todo, e faz parte da Associação Internacional de Parques Tecnológicos (IASP), que abriga mais de 400 parques tecnológicos no mundo.

Foto: Itamar Aguiar

Top