Você está aqui
Home > Eventos & Networking > São Leopoldo sedia programa nacional de empreendedorismo feminino

São Leopoldo sedia programa nacional de empreendedorismo feminino

 

Ação tem o apoio do Google e visa capacitar 135 mil mulheres do País

 

Neste final de semana (1 e 2 de fevereiro), mulheres leopoldenses que estão pensando em abrir seu próprio negócio ou melhorar a sua pequena empresa, participarão do Programa Gratuito Ela Pode, que está acontecendo em todo o Brasil e pretende capacitar 135 mil mulheres até dezembro de 2020. Só no Rio Grande do Sul serão impactadas em torno de 3,7 mil mulheres. Em São Leopoldo, o encontro será no Madhuban Centro de Saúde Integrada, no Morro do Espelho. A iniciativa de trazer o evento para a cidade foi da empreendedora Cláudia Sá, idealizadora da Feira Bem Vestida, após ter sido capacitada. A multiplicadora será Daniela Carlini, da Simples Business & Design, de Porto Alegre. O conteúdo tratado envolverá Liderança, Comunicaçao, Networking, Marca Pessoal, Negociação, Finanças e Ferramentas Digitais.

 

O Programa Ela Pode é uma iniciativa do Instituto Rede Mulher Empreendedora – braço social da Rede Mulher Empreendedora – com o apoio do Google, cujo objetivo é capacitar 135 mil mulheres brasileiras, garantindo independência financeira e poder de decisão sobre seus negócios e vidas.

As capacitações são oferecidas gratuitamente para mulheres em situação de vulnerabilidade socioeconômica, de acordo com as demandas apresentadas em cada região. São abordados temas importantes para os desafios mais comuns na área do empreendedorismo e empregabilidade, tais como: comunicação, liderança, negociação, finanças, networking, marca pessoal e ferramentas digitais.

O objetivo é que, ao final da capacitação, a participante se sinta mais preparada para ter ou melhorar o seu negócio próprio, conseguir um emprego ou buscar o crescimento em seu trabalho.

 

Sobre a Rede Mulher – A Rede Mulher Empreendedora está sediada em São Paulo, SP, e foi idealizado em 2010 por Ana Lúcia Fontes (foto) durante o evento “Programa 10 mil Mulheres FGV”. O projeto iniciou como um blog onde Ana compartilhava suas dúvidas e medos com outras mulheres que estavam iniciando sua carreira no empreendedorismo. Em um ambiente onde a cooperação mútua prevaleceu, a Rede Mulher Empreendedora evoluiu até se tornar o modelo de negócio social que é hoje. Com o intuito de expandir os horizontes foi fundado, em 2017, o Instituto Rede Mulher Empreendedora, vertente social da RME.

Um ano depois, em 2018, a relevância da RME se fortaleceu com a criação da Aceleradora Herd, braço responsável por criar programas de desenvolvimento e apoiar projetos e negócios de mulheres. O objetivo é  assegurar a igualdade de gênero e fortalecer economicamente através do empreendedorismo feminino no Brasil.

A Rede Mulher Empreendedora – RME é a primeira e a maior plataforma de apoio ao empreendedorismo feminino do Brasil, com o propósito de empoderar empreendedoras economicamente, garantindo  independência financeira e de decisão sobre seus negócios e suas vidas.

A RME oferece serviços para empresas que acreditam no empreendedorismo feminino e conta com um grupo no Facebook com mais de 57 mil membros, onde a sororidade é promovida por meio de discussões e ajuda mútua. Atua em todo Brasil e conta com a ajuda de 100 Embaixadoras e 50 Influenciadoras.

Além de signatária dos princípios de empoderamento da ONU Mulheres, a RME tem clientes e parceiros que acreditam na causa do empreendedorismo feminino.

 

Saiba Mais:

 

ELA PODE São Leopoldo (RS)

Data: 01 e 02 de fevereiro
Horário: 8h30 às 18h
Local: Madhuban Centro de Saúde Integrada
R. Amadeo Rossi, 319 – Morro do Espelho, São Leopoldo

Redação: Elizabeth Renz, jornalista, coordenadora de Conteúdo do Portal São Leopoldo Negócios & Cia e diretora da SENHA Comunicação Integrada.

Top