Você está aqui
Home > Entidades & Instituições > Novo titular da SEDETTEC recebe demandas dos empresários

Novo titular da SEDETTEC recebe demandas dos empresários

ACIST-SL aponta demandas para Juliano Macinel, com o objetivo de debater ações para a melhoria do ambiente empreendedor da cidade

 

Nesta quinta-feira, 14, integrantes da diretoria da ACIST-SL promoveram um encontro com a nova gestão da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Turístico e Tecnológico (SEDETTEC) para apontar as principais necessidades do setor empresarial, conhecer os atuais integrantes e as propostas para o ambiente empreendedor da cidade.

Estiveram presentes Siegfried Koelln e Felipe Feldmann, respectivamente presidente e vice-presidente de Comércio da ACIST-SL, Juliano Maciel e Mario Rosito, secretário e secretário adjunto da SEDETTEC, Michel Bordin, chefe do Departamento de Desenvolvimento Empresarial, Mariana Cardoso e Patrícia Parnow, coordenadoras do Núcleo de Contabilistas da ACIST-SL e Maiara Fangueiro, gerente executiva da Entidade.

O presidente da Associação, Siegfried Koelln, destaca que foi elogiável a iniciativa do secretário em vir conversar e apresentar as iniciativas para elevar São Leopoldo para um nível melhor de desenvolvimento. “Este primeiro encontro demonstra a vontade dos setores públicos e privados em trabalhar em prol do desenvolvimento de São Leopoldo. “Existem muitas questões a serem tratadas e o primeiro passo é falar sobre elas. A expectativa é positiva e eu espero que no futuro possamos lhe parabenizar pelas realizações”, assinalou, acrescentando que as portas estão sempre abertas para o diálogo. Uma ação que já ficou combinada será a realização de encontros setoriais, para ouvir os empreendedores de Comércio, Serviços, Indústria e Tecnologia.

Demandas da ACIST-SL – O secretário ouviu algumas das principais necessidades e dificuldades enfrentadas pelo setor empresarial. Dentre as reivindicações, está o maior rigor sobre o comércio informal e a atuação dos ambulantes, que é mais intensa no centro da cidade.  “Enquanto o comércio formal cumpre com todas as determinações dos decretos e é fiscalizado, não se observa a mesma severidade com os demais, que têm muito mais riscos de contaminação”, destaca.

Siegfried Koelln, presidente da ACIST-SL

A agilidade para obtenção dos alvarás é uma das principais reivindicações da entidade. Segundo Mariana Cardoso, a demora faz com que muitos empreendedores repensem os seus investimentos na cidade. “Esta demora não condiz com a fala de que somos uma cidade tecnológica. Precisa haver investimentos urgentes nesta área”, pondera.

Também foram destacados temas como a falta de incentivos – tanto para que novas empresas possam se instalar na cidade, quanto para que as que já estão aqui possam permanecer. Também foi ressaltada a preocupação com a falta de áreas de padrão mais elevado para novos empreendimentos de moradia. “Pessoas com maior poder aquisitivo, que elevam o poder de compra da população, estão se instalando em cidades próximas, fazendo lá as suas compras em detrimento de São Leopoldo”, ressalta Koelln.

O lixo acumulado pela população em diversos pontos da cidade, a exemplo da região do Horto Florestal, também foi abordado, assim como a necessidade de investimentos para melhorar a qualidade dos passeios públicos. Estas condições são entendidas pelos empreendedores como fundamentais para que as pessoas tenham orgulho de morar em São Leopoldo, somadas à adoção, urgente, de medidas que possam aumentar a segurança da população.

Juliano Maciel destacou que a vinda na ACIST-SL foi para iniciar um diálogo que seja permanente, deixando a secretaria mais próxima durante este mandato. “Expusemos algumas questões que julgamos importantes para o desenvolvimento da cidade, da indústria e comércio local. Também ouvimos demandas referentes ao comércio informal, à questão da agilidade do processo para a concessão de licenças para a obtenção de alvarás junto à prefeitura. Podemos externar algumas medidas que estão sendo tomadas nos primeiros 100 dias de governo”, aponta Maciel, reiterando que espera que este diálogo com as entidades da cidade seja permanente. “Saímos daqui com o compromisso firmado com o presidente da ACIST-SL para, nos próximos dias, nos encontrarmos com todos os demais setores que compõem a entidade.

Top