Você está aqui
Home > Entidades & Instituições > Comitê: Comércio não essencial poderá atender por telentrega

Comitê: Comércio não essencial poderá atender por telentrega

Empresas ampliarão a testagem junto aos funcionários e estacionamento rotativo será suspenso

ACESSE AQUI O DECRETO

O Comitê Municipal de Atenção ao Coronavírus, grupo que envolve igualmente governo e a sociedade civil de São Leopoldo nas decisões quanto aos decretos municipais de enfrentamento à Covid-19, decidiu por manter as regras da bandeira preta na cidade, adequando o decreto municipal a algumas alterações que foram feitas nos protocolos do Governo do Estado. O Comitê também definiu a suspensão temporária do estacionamento rotativo, já a partir de amanhã, 3 de março.

 

Adequações – O decreto, que será publicado ainda nesta terça-feira, 2, com validade a partir de amanhã, também irá adequar a regra do município a uma alteração no protocolo da bandeira preta definido pelo Governo do Estado. Estabelecimentos de comércio não essenciais, do atacado e do varejo, poderão funcionar no sistema de telentrega, sendo proibido o atendimento presencial aos clientes.

 

Proposta de lockdown regional

Por determinação do Comitê, São Leopoldo irá levar para debate na Associação dos Municípios do Vale do Rio dos Sinos (Amvars) e na Associação dos Municípios da Grande Porto Alegre (Granpal) uma proposta de lockdown regional de sete a dez dias. Na avaliação do colegiado, a proposta é necessária frente à evolução da pandemia e a situação da ocupação de leitos públicos e privados na região.

Testagem

Representantes de entidades empresariais presentes no Comitê se comprometeram a adquirir testes rápidos do tipo antígeno e ampliar a testagem dos trabalhadores. Na avaliação do secretário-geral de Governo, Nelson Spolaor, as decisões coletivas do Comitê demonstram a parceria entre o setor público e a iniciativa privada para enfrentar juntos a difícil situação de saúde, econômica e social ocasionada pela pandemia.

 

Posição contra veto presencial

O Comitê deliberou pela construção de um posicionamento público contrário ao veto presidencial ao trecho de uma Medida Provisória, aprovada pelo Congresso Nacional, que permitia a compra de vacinas por estados e municípios no caso de omissão ou de coordenação inadequada das ações de imunização por parte do Ministério da Saúde. Outro veto do presidente Jair Bolsonaro, que também tem manifestação contrária do Comitê, é em relação ao prazo de cinco dias para análise da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) dos pedidos de registro emergencial de vacinas já aprovadas nos Estados Unidas, na China, no Japão ou na Europa. A carta com o posicionamento será construída ao longo dos próximos dias em conjunto com entidades que compõe o Comitê.

 

Denúncias de descumprimento do decreto

 

Ouvidoria Municipal

Segunda à sexta-feira, 9h às 14h

Telefones: 156

(51) 2200.0362

E-mail: ouvidoria@saoleopoldo.rs.gov.br

Facebook: https://www.facebook.com/saoleopoldo/inbox

Talk-chat: www.saoleopoldo.rs.gov.br

Todos os dias, 9h às 23h

WhatsApp: 51 98924.5082 (somente mensagens de texto)

 

Guarda Municipal

24 horas por dia

Telefone e WhatsApp (51) 99338-3222 (exclusivo para denúncias de descumprimento do decreto).

O número 153 da Guarda será para emergências e exclusivamente referente às questões da Guarda Municipal

 

 

Dúvidas sobre o decreto

Segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 18h

Sabádo das 9h às 15h

WhatsApp da Força-Tarefa de Fiscalização: (51) 99312-7585

 

Top