Você está aqui
Home > Cenários & Dados > São Leopoldo e Vale do Sinos têm saldo positivo no mercado de trabalho formal em março de 2017

São Leopoldo e Vale do Sinos têm saldo positivo no mercado de trabalho formal em março de 2017

Instituto Humanitas Unisinos – IHU lançou nos últimos dias a 503ª edição da Revista IHU On-Line com o tema de capa “A ‘uberização’ e as encruzilhadas do mundo do trabalho”. O tema, além de reforçar a importância do Dia do Trabalhador e o trabalho no mundo contemporâneo, reafirma o compromisso do IHU com o tema como uma de suas áreas de atuação, diante do momento social e político vivido pelo país com reformas da previdência e alterações na legislação trabalhista.

Observatório da Realidade e das Políticas Públicas do Vale do Rio dos Sinos, programa do IHU, dá seguimento à sistematização e análise da movimentação no mercado formal de trabalho no mês de março de 2017 na região do Vale do Sinos. Os dados mostram que no passado o mercado de trabalho continuou com saldo positivo, assim como aconteceu em janeiro e fevereiro de 2017. O retorno dos setores mais importantes da economia, como Serviços, Indústria de Transformação e Construção, foram as áreas que mais criaram postos de trabalho. Os dados ainda indicam que a maior parte desses novos empregos criados foram preenchidos por desempregados.

Eis o texto:

A tabela 1 mostra que o saldo positivo entre admitidos e desligados em emprego formal no mês de março foi de 902. Apenas três municípios do Vale do Sinos registraram saldo negativo: Dois Irmãos (-35), Nova Santa Rita (-135) e Novo Hamburgo (-84). O município de São Leopoldo sozinho foi responsável por 461 dos 902 novos postos de trabalho formal criados em março. Os dados do CAGED ainda revelam que quando se compara com o ano passado a situação é um pouco melhor. Isso significa que no ano de março de 2016 o saldo acumulado foi de 716 novos postos de trabalho. Já em março de 2015, o mercado de trabalho formal no Vale do Sinos tinha gerado 1.513 novos postos de trabalho.

A tabela 2 mostra a distribuição entre o saldo de admitidos e desligados no mês de março entre os oito setores do mercado de trabalho formal definido pelo Instituto Brasileiro de Economia e Estatística – IBGE. Assim como em janeiro e fevereiro deste ano, o mês de março volta a reforçar a retomada dos postos de trabalho nos setores mais importantes da economia.

O setor de Serviços foi responsável por 641 novos postos de trabalho, assim como a Indústria de Transformação (278) e a Construção Civil (142). Esses três setores sozinhos representaram 1.061 novos postos de trabalho formais no Vale do Sinos. Apenas os setores de Extrativa Mineral e Administração Pública obtiveram maior número de desligados do que admitidos; ainda assim o saldo ficou bem abaixo do que já foi registrado em meses e anos anteriores. Já o Comércio segue apresentando significativas reduções de postos de trabalho.

Quando olhamos para o retrovisor e analisamos o mês de março de 2016, percebe-se que alguns indicadores do mercado de trabalho na região ainda estão retrocedendo. A Indústria de Transformação no ano passado apresentou um saldo positivo de 558 novos postos de trabalho e o saldo negativo no Comércio era de 60. O setor de Serviços apresentou no ano passado 288 novos postos de trabalho frente a 641 em 2017. A Construção Civil amargava a perda de 95 postos de trabalho frente a criação de 142 em 2017. O saldo total entre admitidos e desligados no ano passado foi 716, enquanto este ano foi de 902.

 

Top