Você está aqui
Home > Cenários & Dados > Nível de atividade de São Leopoldo tem elevação de 3,2%

Nível de atividade de São Leopoldo tem elevação de 3,2%

No primeiro trimestre de 2019, o Nível de Atividade de São Leopoldo cresceu 3,2% frente ao mesmo período de 2018. Esta é uma das principais informações do Boletim Socioeconômico Trimestral apresentado para empresários e representantes municipais pela Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Tecnologia de São Leopoldo na manhã desta terça-feira (28). “É um dado interessante quando a previsão do PIB nacional é de apenas 0,2%”, pontua o economista Marco Lélis, que coordenou as apurações. Contudo, ele destaca que no quarto trimestre de 2018, o desempenho havia sido de 4,5%. No primeiro trimestre de 2018, o índice foi de apenas 0,7%.

O Nível de Atividade de São Leopoldo é obtido pela avaliação de quatro pilares. O primeiro é a arrecadação municipal (impostos sobre a produção e a circulação), seguido pela geração de emprego formal (Estoque do emprego formal e a diferença entre as taxas de variação do salário médio dos admitidos e dos desligados). O terceiro é o Efeito Brasil, calculado a partir do IBC-BR e o quarto são as exportações São Leopoldo.

 

Lélis explicou que, para dimensionar o desempenho dos principais indicadores do município de São Leopoldo, tomaram-se por base de comparação os municípios e Novo Hamburgo, Canoas e Gravataí, uma vez que pertencem à Região Metropolitana de Porto Alegre e possuem mais de 200 mil habitantes e apresentem características demográficas e de localização geográfica similares às observadas em São Leopoldo.

 

Empregos – São Leopoldo registrou 1.138 novas vagas no 1º trimestre de 2019. Este resultado é o melhor dentre os municípios analisados no período, além de ser o saldo mais positivo no período. Em março de 2019, estima-se que 61.471 pessoas estavam formalmente empregadas em São Leopoldo.

 

Entre os subsetores que mais geraram empregos formais em São Leopoldo, destaca-se o da Indústria do material de transporte, que apresentou geração de 464 novos empregos formais no 1º trimestre de 2019. Na sequência aparece o subsetor de Instituições de crédito, que registrou saldo positivo de 456 no mesmo período.

 

Por outro lado, dentre os subsetores com os piores saldos trimestrais de São Leopoldo está o de Serviços médicos, que encerrou o 1º trimestre de 2019 com saldo negativo de 42 empregos formais. Na sequência aparecem os setores da Indústria química e Serviços industriais de utilidade pública, com o fechamento de 39 e 26 vagas, respectivamente.

 

Exportações – Dentre os municípios selecionados, Novo Hamburgo foi o único que registrou variação positiva de suas exportações no 1º trimestre de 2019 frente ao mesmo período de 2018. Os demais municípios destacados registraram retração:  Gravataí (-32,6%), Canoas (-24,1%) e São Leopoldo (-8,0%).

 

No 1º trimestre de 2019, as exportações leopoldenses representaram 2,4% do total exportado pelo Rio Grande do Sul. Essa participação é mais de duas vezes superior à participação de Canoas e mais de três vezes a de Novo Hamburgo.

 

ACESSE AQUI TODO O CONTEÚDO DO BST

Top