Você está aqui
Home > Cenários & Dados > Atividade econômica de São Leopoldo tem desaceleração

Atividade econômica de São Leopoldo tem desaceleração

Boletim Socioeconômico Trimestral apontou redução na massa salarial em contraponto ao aumento na geração de emprego

 

O CONTEÚDO COMPLETO DO BOLETIM PODE SER ACESSADO AQUI.

 

O Nível de Atividade de São Leopoldo cresceu, em média, 2,1% no ano de 2019. É o que aponta a sétima edição do Boletim Socioeconômico Trimestral da ACIST-SL, apresentado nesta quinta-feira (12), para associados, empresários, imprensa e convidados do setor de Segurança Pública. Segundo o economista Marcos Lélis, que coordenou a pesquisa, desde o primeiro trimestre de 2019, a atividade econômica do município vem desacelerando e encerrou o quarto trimestre do ano passado com uma taxa de apenas 0,7 de crescimento. “São Leopoldo sofreu forte impacto na atividade industrial devido à redução nas exportações e foi afetado pela redução da massa salarial, mesmo com elevação no número de empregos”, pontuou.

 

O Nível de Atividade do município é calculado por um grupo de pilares formado pela arrecadação municipal, geração de emprego formal, IBC-BR e as exportações locais.

Empregos – O estoque estimado do emprego no município em dezembro de 2019 foi de 57.998 pessoas, sendo que a geração de empregos formais (saldo de admitidos menos desligados) de 205 novas vagas no 4º trimestre de 2019. Em todo o ano de 2019 foram geradas 1.128 novos postos de trabalho.

 

“Observamos que o resultado do município foi melhor dentre os outro três analisados no período, tanto no trimestre quanto no acumulado do ano de 2019, mas a massa salarial ficou menor, pois os salários dos demitidos eram maiores do que os que os admitidos”.

 

Dentre os subsetores que mais geraram empregos formais em São Leopoldo, o destaque ficou com o de comércio e administração de imóveis, valores mobiliários e serviços técnicos, que apresentou geração de 377 novas vagas no 4º trimestre de 2019. “Estes serviços técnicos referem-se às vagas abertas no polo de tecnologia”, explica. Na sequência, vem o subsetor de  serviços de alojamento, alimentação, reparação, manutenção e reparação,  que registrou 197 novos empregos formais no período. “Neste segmento, a massa salarial é menor”.

 

Por outro lado, dentre os subsetores com os piores saldos trimestrais de São Leopoldo está o da Indústria Mecânica, que encerrou o 4º trimestre de 2019 com saldo negativo de 113 empregos formais. Na sequência, aparecem os setores de Ensino e da Indústria do Material de Transporte, com o fechamento de 92 e 69 vagas, respectivamente.

 

Sobre o Boletim – O Boletim Socioeconômico é uma iniciativa da ACIST-SL elaborada a partir das  ações estratégicas definidas em janeiro de 2018, por ocasião da revisão do seu Planejamento Estratégico. Naquele momento, foram apontadas as bandeiras de atuação da entidade: Educação, Meio Ambiente, Segurança Pública, Valorização da Cidade e Valorização do Ambiente Empreendedor.

 

Seu conteúdo é desenvolvido pelo Núcleo de Excelência de Competitividade e Economia Internacional da Unisinos, que pesquisa e analisa os dados e tem o apoio financeiro das empresas associadas Frontec, Sicredi, Sinodal, Certivale, SKA e Vila Rica.

 

Para efeitos comparativos, são apresentados um panorama de outros três municípios escolhidos por serem semelhantes geográfica e economicamente a São Leopoldo: Novo Hamburgo, Canoas e Gravataí, pois pertencem à Região Metropolitana de Porto Alegre e possuem mais de 200 mil habitantes.

 

Fonte: Imprensa ACIST-SL | SENHA Comunicação Integrada

Top